top of page

Áreas do Observatório passam por restauração ecológica

Áreas degradadas na sede do Observatório do Turismo de Juquitiba estão passando por um processo de restauração ecológica com o objetivo de recuperar e conservar mananciais. Iniciada em 2018, a restauração contempla áreas de várzea, matas ciliares e encostas de morros. Os locais escolhidos eram antigamente ocupados por pastagens e, agora, dão espaço às chamadas "árvores pioneiras", como manacás-da-serra, paus-cigarra e embaúbas. Essas espécies, que se desenvolvem rapidamente, são essenciais para a recuperação das condições originais do ambiente, propiciando o desenvolvimento da vegetação nativa.


A restauração ecológica é um processo de intervenção em um ambiente com a finalidade de restabelecer suas condições naturais e recuperar ecossistemas. Para as áreas contempladas na sede do Observatório, foi adotada a técnica de restauração induzida, com o isolamento dos espaços a serem recuperados para possibilitar a regeneração natural da vegetação. Em alguns pontos, foi empregado também o espalhamento de sementes de espécies nativas locais.


As áreas em processo de restauração somam mais de 10.000 metros quadrados. Nesses locais, além da vegetação em desenvolvimento, também é possível observar o retorno da fauna aquática e terrestre, incluindo crustáceos de água doce e mamíferos de pequeno porte, o que atesta os resultados bem sucedidos da iniciativa.


Pedro Fernandes, presidente do Observatório do Turismo de Juquitiba, destacou a importância desse trabalho. "Estamos recuperando áreas degradadas há 30 anos ou mais. Isso vai garantir a produção de água na nossa microbacia hidrográfica mesmo nos períodos mais secos. E os benefícios não param por aí: estamos vendo espécies de animais que antes não víamos tão próximas à sede", declarou Pedro, que acredita que a iniciativa do Observatório serve como exemplo para outras propriedades rurais da região. "Juquitiba é um município repleto de remanescentes de Mata Atlântica. Isso facilita a regeneração natural e os processos de restauração ecológica tornam-se muito menos custosos. Se queremos que Juquitiba seja referência no ecoturismo, a conservação e recuperação da floresta são partes essenciais", completou.


Área em restauração ecológica na sede do Observatório.

Comments


bottom of page